Friday, February 02, 2007

(eu sou o que sou)
Se tivesse que nascer de novo; Faria tudo de novo, se fosse outro o meu passado, sabe lá como eu seria.
talvez seria um psicótico, um vândalo, um viciado, um poeta, um sacerdote.
talvez legislaria a santa inquisição ou fosse o preceptor do Barão de Montesquieu.
Quem sabe eu seria o cajado de moisés, a estola sacerdotal, as campinas do jordão.
quem sabe eu seria a poeira das estrelas, os anéis de Saturno, as constelações do Zodiaco.
quem sabe eu seria sua outra parte...


(tribunal de nós mesmos)

que me chamem de réu,vítima,amante,rastejante,não preciso de ninguem para ser ignorante.sórdido,insatisfeito,que me faltem com respeito,sou único suspeito,por ter olhado para tie não preciso de ninguém para morrer.que me chamem de mártire,de louco,de Caím,não quero que ninguém tenha pena de mim.eu sou a reviravolta,o triunfo,a respostaeu sou a janela e a porta,o topo,a fossaque me chamem de frente e de costas.ungido,remido,eu sou a pólvora do tiro,um furo,o filhonão preciso de ninguém pra estar vivo.escolhido,incircunciso,que me chamem com um sorrisomaquiavélico,malicioso,não preciso de nenhum lago,sentir-me um Narciso,contemplar meu rosto,eu sou um velho, um moçoum espírito eternoum inverno,um esboçonão preciso de ninguém pra sair do poçotenho asas,tenho força,tenho fé,tenho sorte,não preciso de mais um golenão quero o pote,tenho a fonte,tenho sede,tenho a pontetenho a estrada,tenho o açoite...
que me deixem dormir essa noiteum sono pesado,incessantesou escudo,sou falange,sou salto,sou precipício,não preciso de nenhum víciosou canto,sou arcanjoque me chamem para ver o início.sou espada,sou da guerra,não vou viver pra sempre na terra,que me chamem de heregenão vou fugir novamentenão preciso de ninguém para amar eternamente...

Thursday, February 01, 2007


não sei se eu sei o que será,será?


Quando a reflexão incosciênte aflora, e não revela o que eu quero saber nesta hora, logo pensoque fui assassinado covardemente por uma incógnita miragem extra-sensorial. quando abro meu leque comsete níveis de interpretação, logo foge a razão em passos debochados, então entendo que não há possibilidades de desobstruir o véu que encobre todas as respostas para as minhas perguntas toscas e nada eruditas. Mas busco incessantemente o complôr da minha existência, daí entrar no tabernáculo sacrossanto e profanar todas as câmaras e vales dos Reis, acharia então, o que káyyamm passara toda a existência á procura; entre vinhose indagações, declamaria telepaticamentea circuncisão do meu prepúcio tetradimensional.
Simplesmente "ser" é o que sou, "existência" é quem eu sou.
E acreditar no "ser" e na "existência" , poderá nos levar á uma jornada infinita, cósmica, imprevisível e fidedigna.

Monday, January 15, 2007

elucidário
hoje ao acordar,
a cama estava fria.
a sala de estar,
estava vazia
e só na rede da varanda
tento comungar com o dia.
escrevendo poesias, canções quase perfeitas,
pranteadas na tarde fria
tentando entender tantas seitas.
quando o Sol se escondia
a rede ainda sustentara
o meu corpo elucidado,
logo as estrelas anunciara que a Lua chegara.
pra governar a noite serena,
iluminando a varanda pequena,
preparando-me a insônia
pros meus futuros versos
sátiras frases risonhas
tão póstumas e dispersas,
quanto tantas outras expressas.

Thursday, January 11, 2007

O REFÚGIO
QUANTAS CÔRES TEM AS FLÔRES QUE CONHEÇO ATÉ AQUI?
QUANTAS FLÔRES ROUBARAM DO MEU JARDIM?
NEM MESMO OS BEIJA-FLÔRES APARECEM POR AQUI.
FIQUEI SÓ!!
MAS NÃO ME LEVARAM O QUE ME TROUXE ATÉ AQUI,
QUEM PODE ME LEVAR O QUE NÃO TENHO?
POIS O QUE NÃO TENHO TENTARAM ME LEVAR,
E ME REFUGIEI NAS MONTANHAS QUE Á SÉCULOS NÃO SAEM DO LUGAR.
DO ALTO PUDE VER O MUNDO QUE JÁ NÃO ERA,
ARRANCARAM AS FLÔRES, ASSASSINARAM A PRIMAVERA
NA CERRAÇÃO PUDE VER AS CÔRES NÍTIDAS,
NO ORVALHO DA NOITE A ÁGUA INSÍPIDA,
OBSERVANDO OS FRACTAIS E A METAFÍSICA,
MENTINDO PRA MIM MESMO QUE NÃO ERA
QUANDO VIA O ALINHAMENTO DAS NUVENS NO HORIZONTE,
QUANDO PENSO QUE AMANHÃ O HOJE VAI SER ONTEM,
QUANDO PENSO EM VOCÊ TÃO MINHA E TÃO DISTANTE,
QUANDO PENSO NO FUTURO QUE NÃO É MAIS COMO ANTES,
QUE TUDO ERA IMPACTANTE, DIFERENTE, DELIRANTE,
PREFIRO ACREDITAR NUM FUTURO PROTESTANTE,
QUEM SABE EU ACORDE DESSE SONHO NESSE INSTANTE
QUEM SABE EU NÃO SEJA UM ESTRANHO NESSE MUNDO ESTRESSANTE
HABITADO POR SONHOS E CÔRES, MENTIRAS E FLÔRES,
PENSAMENTOS, PRIMAVERAS E BEIJA-FLÔRES,
ESTRANHOS, TRIUNOS, REBELDES AMORES,
DISTANTE TERNURA
SENTIMENTOS QUE NÃO TEM CURA
REMÉDIO PRA LUCIDEZ
SINTÔMAS DE UMA LOUCURA.